terça-feira, maio 05, 2009

E há que dizê-lo com frontalidade!

Odeio o Harry Potter...vi o último filme dele, e não sei o que me irritou mais, se as 2 horas de vida que não verei de volta, ou a pessegada de história, personagens and soyon...de mim a JKRowling nunca viu um penny!
E não há ninguém que dê uma trancada à Hermione? E terapia da fala ao ruivo? Enfim....

Vinha no metro hoje, fitado no horizonte Alpino...a ver as nuvens a viajar em modo Lorentz à direcção das carruagens...e vinha semi-agarrado ao "pau" anexo à porta, com dois dedos apenas, o suficiente para me manter o equilíbrio enquanto o metro cavalgava carril afora...

Estava particularmente encrespada a viagem, já que o metro oscilava furiosamente em certos trajectos como se quisesse saltar fora dos rodados...
Mas eu, gracas a minha extensa formação Bolshoi, continuava suspenso pelos meus dois dedinhos ao pau, e por sucessivas rotações de calcanhares que me mantinham hirto ao plano e vencedor à agitação frenética da carruagem!

Ora vogando enfunado a tumulta, digno qual S. Rafael, observo que numa paragem, no meio do tropel entra uma mulher mais alta que eu....e que dada a falta de lugares sentados, se ampara contra a rectaguarda do metro, mesmo a 45 graus da minha viseira.
Chamou-me a atenção a altura da sujeita, mais o wedjat (ver figura 1) suspenso e oscilante hipnótico ao pescoço que trazia....

Ora volta e meia, e aproveitando a moção emprestada ao vagão, lá eu me permitia deslizar um bocadinho mais na direcção da sujeita, e encarar o wedjat que lhe pendia no torso...eis senão quando, num movimento mais brusco de um solavanco, o pingente se lhe aninha no vale dos reis ...do vale, nada que tapasse o sol às múmias, mas também não as deixava completamente fototrópicas...

E aqui começa a vergonha da minha família!

Por mais que tentasse travar a satisfação óptica do momento, a minha vista invariavelmente encontrava o caminho de regresso ao peito da dita! Quem me topasse de longe, jamais iria imaginar que o motivo inicial da curiosidade seria o wedjat, e que agora era o fruto proibido que me impelia ao momento....
Era a Abertura 1812 para os pobres...a cada disparo de canhão das sacudidelas da carruagem, lá iam os meus olhos em compasso da nota, na direcção das mamas da senhora....

E quando eu achava que isto não podia piorar....e que a vergonha não podia ser maior....numa curva furiosa e tremida do transporte, os meus dois dedos de suporte cederam, e a minha rotação Nureyev atirou-me headlong de encontro ao wedjat alheio, e ao nível da minha cara graças à altura da senhora...e aterrei com o nariz no meio das protuberâncias mamilares...

Procurei anteparo...senti-me subir na escala de Celsius, levei a mão à cara e aconcheguei os óculos que não uso....balbuciei uma anglofrancofonia indecifrável, suspirei um "fod*-se"....e encarei-a com acanhamento...subi o lábio superior como se me faltasse um gene ou dois...e arrisquei macarrónico:

- Croyez-vous au destin, peut-être?

E num olhar nefer-autoritário....ela responde-me...do alto lá da pirâmide....

- Pas avec les hommes! - e produz um esgar Jodie Fosteriano, impávido e emotionless...

- Oh!....retruco eu desavagando a cara, num misto de surpresa e medo e algum alívio, já que se ela tivesse dito que sim, eu não saberia como descalçar aquela bota que com tanta volúpia tinha encaixado no pé...
Contorço-me qual artista Mongol e ainda arrisco:

-Toute façon, c'est un beau wedjat!

- En effet!- volveu voluptuosa e desta vez sorridente....

Saí do metro, assim que pude, num misto de vergonha pelo momento e imenso contentamento pela capacidade de diálogo em Francês improvisada...

Ja vos disse que odeio o Harry Potter?



Figura 1 - Wedjat (Sem o peito!)

11 Reacções:

kapitão disse...

LOOOOOOL

Ai, Hydra-Friend, que eu nem sequer sei que comentário te posso fazer, de tão atrapalhado ter ficado com tudo o que relatas! Então pensavas no Harry Potter e aterraste no vale dos Reis?

Para a próxima, agarra-te bem ou, então, nunca, em circunstância alguma, tenhas esses pensamentos que voam longe... Ou então, usa uns óculos escuros, daqueles que tapam mesmo tudo... LOL

Ag:)
KKF

aurora disse...

rofl :D ... enfim, tem sempre piada quando acontece aos outros não é? ;)

pinguim disse...

Ai, meu Deus...o vale dos Reis!!!
Esta fez-me lembrar a tua mais hilariante história, a famosa cena nos "pastéis de Belém"...que risada pegada.
Estava bem a precisar, é o que te digo...
Abração.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Lool. Acho que deves ter pesnado: hum... escrevo sobre a minha paixão pelo Harry Potter ;) e das duas horas de vida que nao vou reaver, ou sobre "a cada disparo de canhão das sacudidelas da carruagem, lá iam os meus olhos em compasso da nota, na direcção das mamas da senhora...."?

Lool

Hugz, e olha que pelo contas do caminho da viagem, a imagem deve ser maravilhosa... Aqui é mais o mar, tipo cascais Cais do Sodré ;)

Angelo disse...

AH AH! Juro, palavra d'honra, que tens com cada episódio nesta tua vida de menino bolshoiomongolohelvético!!! DEMAIS! E o que é giro é que consigo imaginar estas coisas todas, incluíndo as maminhas da menina!!!
E essa tua tirada "que lindo wedjat" é mesmo à Hydra, estou a ver!

Deixa lá o Potter. A Rowling precisa de dinheiro, é o que é!

Teresa disse...

eu tou k n posso!!!! eu já me ri tanto sózinha k a minha chefa tem estado a olhar para mim como se eu tivesse choné!!!!!!!!!!!!!!

Paula disse...

Agora diz que estavas a olhar para o Wedjat... Hum,hum!
Já lhe ouvi chamar muita coisa, agora Wedjat...
:)
Bjs!

Gi disse...

Há que dizê-lo com frontalidade, que fantásticos afrontamentos tiveste, Amigo!

PS.: Já te disse que Harry Potter abhorriza-me?

Francisco disse...

Olha, como dizia o Herman:

Harry Potter que o pariu!

Também não posso com essa personagem :/

Já agora, mesmo sem te conhecer essa te ter enfiado a cara nas mamas de uma desconhecida levou-me às lágrimas só de imaginar hehehehehehe

Abraço.

F3lixP disse...

Aterro aqui de para-quedas atirado do grande avião bloguista da companhia Pinguim.
Apelidou-te de irresistível, inigualáve. Só posso podia concordar com ele depois de me ter lido este fantástico texto entre faltas de ar provocadas pelo riso perdido que amnos soltámos. Um texto pode ser excelente mas se recitado assim torna-se brilhante!

Cá estou eu, mais um leitor assíduo! ;)

Abraço

Boo disse...

Tens um selo lá no meu estaminé! :)