terça-feira, outubro 30, 2007

Pelas eras fora...


Num baú marcado passado, a um canto da memória, duas esquinas abaixo das recordações, encontrei este livro...O Papu... ! Era um livro da primária... Se calhar muita gente o teve...

Analepse (A imagem esbate e a câmara roda):

Deus meu...corria o Ano de 1982... "Under Pressure" dos Queen tocava nos tops e as Doce ganhavam o festival da canção com "Bem Bom" envergando chumaços platinados de fazer inveja à Dame Edna...
E um rapazito tímido e aspirante a adulto, rumava de mochila (maior que ele próprio) às costas à escola primária...

"-Porque choras?...Coitadinho"...Perguntou a minha primeira Professora...
"'-Tenho medo que me batam....a minha mãe disse-me que as professoras da primária batiam-lhe tanto...."....
"-Isso era antigamente....hoje já não se bate nos alunos!"

Parei de chorar, sequei as lágrimas, enfunei o peito e parti em direcção ao meu destino....munido dos cadernos mais imaculados que algum dia alguém teve...e saquei da minha arma...o lápis....!
Anos mais tarde seria a língua...mas isso é outra história...

Regresso ao Presente (Com Paganini ao violino):

E quando pego no livro do Papu, 30 anos voam perante os meus olhos e o filme da minha vida (Brad Pitt no meu papel) decorre em fast forward e estaco onde estou, com um livro na mão...

Em 30 anos assisti:

- à mudança de século.
- à mudança de milénio.
- à mudança de Papa.
- à queda do Muro.
- à passagem de tv a preto e branco para cores.
- à formação e quebra de novas fronteiras de novos Países.
- à morte do Freddie Mercury.
- à morte da Princesa Diana.
- a atentados terroristas.
- ao 1ro Big Brother (Blheark!!!!!).


E apercebo-me que, given the chance, não gostaria de voltar a viver tudo isto outra vez...

12 Reacções:

Tulaunia disse...

Como eu te entendo!!!! Mas gostei de rever o Papu (sim, tb aprendi os rudimentos do alfabetismo nesse magnífico livro).

Hydrargirum disse...

Tb es uma crianca Papu?:)
Que maximo:)

Suspeita disse...

Olha o Papu!!! Agora foste tu que me fizeste recordar muita coisa...

Hydrargirum disse...

suspeita: :)

Sonia,Filipe e Guilherme disse...

Eu também tive :)
Beijoquinhas mil

Brama disse...

Adorei este post, fantástico. Eis que uma pessoa abre este blog e depara-se com um momento mágivo, a visualização da capa do Papu ... também o meu livro e talvez o de meio Portugal, não sei. Rapidamente vieram-me à memória, o cheiro dos livros novos (adorava abri-los, ainda duros e cheirá-los), da grafite, do material escolar novo, da dificuldade que tinha em fazer um 8(oito) perfeito, era bem difícil, do magnífico cheiro da plasticina e do picotar de desenhos naquela esponja que se utilizava. Adorava as canetas de feltro de várias cores, todos os meus desenhos tinham de ter algo amarelo, senão pareciam imensamente tristes e a minha cor favorita na altura era o azul claro, sempre a primeira a ser gasta ... agora nem aprecio muito o azul. A capa do Papu recordou-me mil memórias, muito obrigado. E sim ... muita coisa se passou e aconteceu. O dia da morte do Freddie foi muito triste, recebi a notícia, estava eu, penso que numa aula do 11ºano. Também morreu uma grande heroína, a Madre Teresa de Calcutá ... Gianni Versace foi assassinado ... mas uma coisa ainda não mudou, a infinita estupidez do Homem ... essa será a grande mudança ...

Hydrargirum disse...

Eu nao sabia que a Geracao Papu era assim tao grande:)

Brama: E eu adorei o teu comment! Revi-me em mto do que escreveste. O meu fetiche era o "amarelo torrado"...
E os livros por usar...!!!:) Que sensacao...!
Obrigado!
E sim...a estupidez humana e ilimitada...

Graduated Fool disse...

Claro que a geração "Papu" é imensa. Já não o tenho porque a minha querida mãezinha, há uns tempinhos, resolveu fazer limpeza ao sótão. zás, tudo para o lixo. Pena. Eu adorava aquele livro. e lembro-me de um outro recortado, em vez do normal formato rectangular.
Confesso, sem gabarolices, que quando entrei para a escola primária já sabia ler e escrever e, por isso, os primeiros tempo foram, digamos, algo secantes. Mas isso não implica que não adorasse ter a mala cheia de livros novinhos, livros mais usados, mais amarelados e borrados (pois como sou esquerdino, borrava tudo. Os livros, os cadernos, os dedos). O Papu faz parte dessas imagens. Lembro-me de ficar imenso tempo a olhar para a capa. Aquelas letras imensas, o miúdo de cabeleira farta a passar pelo "O". Enfim...
Ah, também chorei no meu primeiro dia de escola assim que a D. Otília chamou pelo meu nome.

- Porque estás a chorar? Porque está ele a chorar?
- Sabe senhora professora é que ele é canhotinho e tem medo que lhe bata para ele escrever com a mão direita.
A D. Otília sorriu para mim e disse:
- Bater? Claro que não. Cada um escreve com a mão que quer e lhe dá mais jeito.
Fiquei logo ali muito mais descansado.
E até hoje mal sei pegar numa caneta com a mão direita.

TheTalesMaker disse...

Tchiiii, 1982, grande ano. pelo menos para mim que foi quando vim ao mundo, para o bem e para o mal.
Já não tive o Papu, tive um outro de capa laranja.

Hydrargirum disse...

Graduated fool: Canhoto...hum...! Eu a comer sou canhoto, pego nos talheres ao contrario... curioso, nao sei pq!....Todo o resto e feito com a mao direita!
Nao me recordo nada do Papu recortado! Que pena nao teres ficado com o livro.
Ufa...nao fui o unico a chorar...:)

TalesMaker: Tss, tss! Ninguem nasceu em 1982...ja diz o Herman!:) Nao tens vergonha de ser tao novo?:):):)
Tava eu a chorar com medo de apanhar porrada, estavas tu a chorar a nascer:)

Jasmim disse...

Eu também sou da geração Papu! :D Grandes recordações!

Hydrargirum disse...

Jasmim: somamos, e seguimos:)